HTC em todo o lado!

A HTC é já considerada um dos maiores fabricantes mundiais de telemóveis, com a produção de marca própria claramente centrada no universo Windows Mobile, onde se destaca pela utilização dos interfaces proprietários TouchFLO e TouchFLO 3D.

Tanto a versão original do interface por toque TouchFLO, bem como a mais recente versão TouchFLO 3D, dão bem conta da meticulosidade deste fabricante, que, ao contrário dos seus concorrentes, soube responder, com as ferramentas de que dispunha na altura, ao desafio do iPhone, adequando o sistema operativo Windows Mobile à utilização directa com os dedos, indo além da solução incompleta do suporte do hardware e criando uma camada aplicacional adequada, com menus e gráficos próprios.

Embora o software proprietário aplicado sobre o Windows Mobile seja um dos pontos diferenciadores da HTC, a fabricante taiwanesa destaca-se principalmente pelo hardware que produz, que, tal como mostrou recentemente, não se encontra necessariamente preso ao software móvel.

O HTC G1, oficialmente apresentado em Setembro, marca um ponto de viragem, não só para a empresa – já que se trata do primeiro terminal HTC fora da oferta Windows -, mas, igualmente, para o mundo das comunicações móveis em geral, com a estreia do sistema operativo Android, desenvolvido pela Google em parceria com um rol extenso de fabricantes, operadoras e outros agentes da indústria.

Apesar do seu crescimento, a HTC mantém, todavia, uma ligação ao seu próprio passado empresarial de fabricante ODM, desenhando e produzindo terminais insuspeitos para os maiores rivais da sua própria marca, como o Sony Ericsson Xperia X1 ou o Palm Treo Pro.

HTC G1
O HTC G1 é um dos mais aguardados terminais do ano, senão o mais aguardado, já que representa uma mudança de foco clara e histórica: o último passo na transição dos conteúdos do desktop para a nuvem e finalmente, em mobilidade total, finalmente acessíveis através de uma rede ubíqua.

A nível de software, o G1 denota a sua influência Google, integrando a maior parte dos serviços do gigante de conteúdos, com uma suite PIM baseada nos serviços GMail, para o email móvel PUSH, contactos e conversação e Google Calendar, para gestão do calendário, oferecendo, igualmente, os serviços YouTube, Google Maps, acesso directo à loja de MP3 da Amazon e um canal de distribuição de aplicações dedicado, o AndroidMarket, semelhante à App Store do iPhone.

Em termos de hardware poderemos encontrar um ecrã de toque capacitivo, com 81mm de diagonal e resolução de 480 por 320 pixéis, câmara de 3 Megapixéis e um teclado QWERTY de cinco filas de teclas. As comunicações estão asseguradas por um componente celular HSUPA, Wi-Fi e Bluetooth.

O G1 é, todavia, um claro primeiro esforço, com lacunas de design que incluem a ausência de uma ficha integrada de 3,5mm para auscultadores vulgares ou a memória interna de apenas 1GB, expansível através de cartão de memória.

O HTC G1 não tem data prevista de lançamento nem preços anunciados para Portugal.

Sony Ericsson Xperia X1
O Sony Ericsson Xperia X1, desenhado e produzido pela HTC, marca a entrada do braço de telecomunicações da gigante Sony em território Windows Mobile. Porém, à semelhança de outros terminais recentes da marca, existe já um intervalo de tempo demasiado longo entre o anúncio e apresentação do terminal e a sua comercialização efectiva.

Apesar de, aquando da sua apresentação, ter gerado alguma expectativa pelas suas características técnicas, o Xperia X1 poderá, ao seu lançamento, passar despercebido à maior parte dos utilizadores, que já disporão de uma oferta tecnicamente igual ou superior e mesmo em segmentos mais baixos do mercado.

O X1 não deixa, todavia, de manter os seus argumentos, incluindo dados móveis 3,5G, Wi-Fi, Bluetooth 2.0, GPS, câmara de 3,2 Megapixéis, ecrã por toque de 76 mm de diagonal e resolução de 800 por 480 pixéis, teclado deslizante QWERTY e um design que se mantém, apesar da espera, actual.

Previsto para lançamento global até ao fim do ano, sem preço definido.

Palm Treo Pro
O hardware HTC da Palm não é nenhuma novidade, já desde o Treo 650. O novo Treo Pro, apesar de possuir o sistema operativo Windows Mobile – na ausência do sistema operativo Linux prometido pela mítica fabricante de PDAs -, eleva um pouco a fasquia recente da Palm, integrando algumas características dispersas dos anteriores terminais da marca num só dispositivo.

Assim, o Treo Pro conta com dados móveis de alta velocidade, Wi-Fi e GPS integrados, Bluetooth 2.0 e uma modesta câmara de 2 Megapixéis. Um conjunto de características um pouco tardias para um terminal de 2008, principalmente tendo em conta o seu preço.

Este modelo está disponível em algumas grandes superfícies de electrónica, por cerca de 550 euros.

HTC Touch HD
O Touch HD é o mais recente membro da família Touch a ser lançado sob a própria marca HTC.

Tal como os restantes telemóveis aqui apresentados, assim como os recentes HTC Touch Diamond e Touch Pro, o Touch HD utiliza o chip integrado Qualcomm, integrando o mesmo processador a 528MHz, comunicações móveis de alta velocidade e aceleração gráfica discreta. O mais recente terminal da HTC destaca-se, todavia, da restante oferta, ao apresentar um ecrã táctil de quase 10 centímetros de diagonal, com uma resolução de 480 por 800 pixéis.

De resto, integra Wi-Fi, Bluetooth 2.0, câmara frontal para videochamada e posterior de 5 Megapixéis, GPS, ficha de 3,5mm para auscultadores e memória integrada de 512MB, expansível através de cartão de memória.

Deverá estar disponível em Portugal antes do final do ano, sem preço anunciado.

Anúncios
por Helder Gonçalves Publicado em Sem categoria

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s