Um computador para cada família em Vale de Aosta

Vale de Aosta, em Itália, está apostada em que todas as famílias residentes na região, e com filhos entre os 11 e os 17 anos, tenham um computador com ligação à Internet. Os que aderirem ao programa «un computer in famiglia» beneficiam de um subsídio de 700 euros, parcialmente financiado pelo Fundo Social Europeu. Mas os objectivos são mais ambiciosos que o simples disponibilizar de material informático e formação aos habitantes desta região entre os Alpes franceses e os Alpes suíços.
Para que os beneficiários venham a obter uma certificação de competências, é-lhes oferecida também uma aplicação informática, o «e-Citizen kit» desenvolvida pela fundação ECDL, European Computer Driving Licence Foundation, organismo que atribui o certificado International Computer Driving Licence. Sete em cada dez beneficiários está a frequentar o curso, em eLearning, com vista a obter um certificado. Quatro meses depois de o programa ter arrancado, cerca de 70 por cento dos potenciais beneficiários já aderiram. «Esperamos chegar a 100 por cento do público», considera Alessandra Devitofrancesco da ECDL. Ou seja, 6500 famílias.

Estímulo à economia da região

A meta poderia parecer irrealista, mas Vale de Aosta é uma região que, nos últimos anos, tem vindo a desenvolver, com êxito, programas de combate ao défice informático e exclusão social. Os projectos apoiados pelo Fundo Social Europeu, desenvolvidos na última década, transformaram os cerca de setenta municípios da região, em localidades onde a Internet está largamente difundida e com serviços públicos disponíveis online.

«Un computer in famiglia» está a estimular a economia da região, famosa pelas suas paisagens e vistas do Monte Branco. As vendas de computadores pessoais aumentaram significativamente nos últimos meses. E apenas dois por cento dos que adquiriram PCs, no âmbito do programa, fizeram a compra online. Os restantes (98 por cento) adquiriram o computador numa loja desta região, a cerca de 60 quilómetros de Turim. Os números são também interessantes no que respeita ao comportamento de consumidores e utilizadores de informática. Quatro meses depois de o programa ter arrancado, oito em cada dez beneficiários optou por comprar um portátil. Os restantes escolheram PCs. Dos que antes de aderirem ao projecto possuíam tecnologia obsoleta e sem ligação à Internet, hoje, cerca de 60 por cento tenciona comprar novos equipamentos e ligar-se à Net.

Iliteracia informática e exclusão

O programa «un computer in famiglia» apresenta resultados que evidenciam o papel importante da Administração Local no combate à iliteracia informática. «O projecto mostra como as autoridades regionais podem, na verdade, melhorar os níveis de literacia digital das famílias e dos jovens, não só promovendo a difusão das tecnologias da informação e comunicação, mas também providenciando-lhes uma certificação oficial das suas competências», considera Alessandra Devitofrancesco. «Isso significa proporcionar-lhes um melhor desempenho profissional, o que se traduz também no combate à exclusão social», refere ainda, a propósito desta experiência em Vale de Aosta, a responsável da ECDL, organização sem fins-lucrativos e que se apresenta como pautando-se por critérios de responsabilidade social. Com delegações em Dublin, Bruxelas e Singapura, a fundação ECDL tem vindo a desenvolver conteúdos para programas de promoção das TIC, criados de acordo com as necessidades dos públicos em diversos países.

Projecto: Un Computer in Famiglia
Entidade: ECDL Foundation
Implementação: 2008
Contactos: Telefone: 32 0 277 28 251 (Bruxelas); 353 0 16 306 000 (Dublin)

Fonte:
José Manuel Ferreira
IGOV Local

por Helder Gonçalves Publicado em Sem categoria

Um computador para cada família em Vale de Aosta

Vale de Aosta, em Itália, está apostada em que todas as famílias residentes na região, e com filhos entre os 11 e os 17 anos, tenham um computador com ligação à Internet. Os que aderirem ao programa «un computer in famiglia» beneficiam de um subsídio de 700 euros, parcialmente financiado pelo Fundo Social Europeu. Mas os objectivos são mais ambiciosos que o simples disponibilizar de material informático e formação aos habitantes desta região entre os Alpes franceses e os Alpes suíços.
Para que os beneficiários venham a obter uma certificação de competências, é-lhes oferecida também uma aplicação informática, o «e-Citizen kit» desenvolvida pela fundação ECDL, European Computer Driving Licence Foundation, organismo que atribui o certificado International Computer Driving Licence. Sete em cada dez beneficiários está a frequentar o curso, em eLearning, com vista a obter um certificado. Quatro meses depois de o programa ter arrancado, cerca de 70 por cento dos potenciais beneficiários já aderiram. «Esperamos chegar a 100 por cento do público», considera Alessandra Devitofrancesco da ECDL. Ou seja, 6500 famílias.

Estímulo à economia da região

A meta poderia parecer irrealista, mas Vale de Aosta é uma região que, nos últimos anos, tem vindo a desenvolver, com êxito, programas de combate ao défice informático e exclusão social. Os projectos apoiados pelo Fundo Social Europeu, desenvolvidos na última década, transformaram os cerca de setenta municípios da região, em localidades onde a Internet está largamente difundida e com serviços públicos disponíveis online.

«Un computer in famiglia» está a estimular a economia da região, famosa pelas suas paisagens e vistas do Monte Branco. As vendas de computadores pessoais aumentaram significativamente nos últimos meses. E apenas dois por cento dos que adquiriram PCs, no âmbito do programa, fizeram a compra online. Os restantes (98 por cento) adquiriram o computador numa loja desta região, a cerca de 60 quilómetros de Turim. Os números são também interessantes no que respeita ao comportamento de consumidores e utilizadores de informática. Quatro meses depois de o programa ter arrancado, oito em cada dez beneficiários optou por comprar um portátil. Os restantes escolheram PCs. Dos que antes de aderirem ao projecto possuíam tecnologia obsoleta e sem ligação à Internet, hoje, cerca de 60 por cento tenciona comprar novos equipamentos e ligar-se à Net.

Iliteracia informática e exclusão

O programa «un computer in famiglia» apresenta resultados que evidenciam o papel importante da Administração Local no combate à iliteracia informática. «O projecto mostra como as autoridades regionais podem, na verdade, melhorar os níveis de literacia digital das famílias e dos jovens, não só promovendo a difusão das tecnologias da informação e comunicação, mas também providenciando-lhes uma certificação oficial das suas competências», considera Alessandra Devitofrancesco. «Isso significa proporcionar-lhes um melhor desempenho profissional, o que se traduz também no combate à exclusão social», refere ainda, a propósito desta experiência em Vale de Aosta, a responsável da ECDL, organização sem fins-lucrativos e que se apresenta como pautando-se por critérios de responsabilidade social. Com delegações em Dublin, Bruxelas e Singapura, a fundação ECDL tem vindo a desenvolver conteúdos para programas de promoção das TIC, criados de acordo com as necessidades dos públicos em diversos países.

Projecto: Un Computer in Famiglia
Entidade: ECDL Foundation
Implementação: 2008
Contactos: Telefone: 32 0 277 28 251 (Bruxelas); 353 0 16 306 000 (Dublin)

Fonte:
José Manuel Ferreira
IGOV Local

por Helder Gonçalves Publicado em 1

Novos Qosmio da Toshiba estreiam processador Quad Core HD

A Toshiba apresentou ontem, em Londres, a nova linha de computadores multimédia Qosmio e um novo processador destinado ao vídeo: o Quad Core HD.

São três os novos modelos apresentados: Qosmio F50, Qosmio G50 e Qosmio X300. Os dois primeiros destinam-se aos utilizadores que dão preferência ao multimédia (reprodução de conteúdos áudio e vídeo) e, por isso, integram o novo processador Quad Core HD. O X300 é a máquina concebida para jogadores e integra a tecnologia gráfica da Nvidia para portáteis mais recente, mas não integra o Quad Core HD.

Estas máquinas vão chegar a Portugal em Setembro. A Toshiba não revelou quais as configurações que vão estar disponíveis no nosso país, nem o preço de venda ao público.

O Quad Core HD é um processador baseado na arquitectura do Cell (o processador que está na PS3) e é composto por quatro processadores SIM RISC de 128 bits. Estes funcionam como um elemento único e dedicado à reprodução de vídeo e áudio.

É a integração deste processador que funciona à parte, mas em sintonia com o processador central e o processador gráfico, que permite à Toshiba fazer upscaling de vídeo e transformar SD (Standard Definition) em HD (High Definition).

A Toshiba aproveita a tecnologia permitida pelo Quad Core HD para introduzir mais aplicações relacionadas com o vídeo. Por exemplo, quem tiver um dos novos Qosmio que integram esta tecnologia vai conseguir fazer renderizações de vídeo mais rápidas (com ganhos na ordem dos 50%), visto que a Toshiba fez uma parceria com a Ulead para optimizar o programa Ulead Video Studio para este processador.

Outra das novas aplicações é um sistema que permite dividir todas as cenas de um filme em DVD (tipo mosaico) e que possibilita a navegação cena a cena. Mas o que deu mais nas vistas foi a tecnologia Hand Gesture Control. Esta permite, utilizando a web cam integrada no Qosmio, interagir com a interface do computador através de gestos. Só para ter uma ideia, a aplicação requer tanto processamento que utiliza, na sua total capacidade, os quatro processadores incluídos no Quad Core HD.

A Toshiba esclareceu que este processador não é uma resposta à derrota do HD DVD. Segundo responsáveis da empresa nipónica, o Quad Core HD já estava a ser desenvolvido e seria sempre apresentado, mesmo se o formato HD DVD fosse o vencedor da “Guerra da alta definição”.
Aliás, a Toshiba reforçou a ideia de que, para esta empresa, o futuro da alta definição não é o suporte em si, mas sim a forma como os utilizadores estão a preferir aceder aos conteúdos a partir da Web e de outros suportes alternativos.

por Helder Gonçalves Publicado em Sem categoria

Novos Qosmio da Toshiba estreiam processador Quad Core HD

A Toshiba apresentou ontem, em Londres, a nova linha de computadores multimédia Qosmio e um novo processador destinado ao vídeo: o Quad Core HD.

São três os novos modelos apresentados: Qosmio F50, Qosmio G50 e Qosmio X300. Os dois primeiros destinam-se aos utilizadores que dão preferência ao multimédia (reprodução de conteúdos áudio e vídeo) e, por isso, integram o novo processador Quad Core HD. O X300 é a máquina concebida para jogadores e integra a tecnologia gráfica da Nvidia para portáteis mais recente, mas não integra o Quad Core HD.

Estas máquinas vão chegar a Portugal em Setembro. A Toshiba não revelou quais as configurações que vão estar disponíveis no nosso país, nem o preço de venda ao público.

O Quad Core HD é um processador baseado na arquitectura do Cell (o processador que está na PS3) e é composto por quatro processadores SIM RISC de 128 bits. Estes funcionam como um elemento único e dedicado à reprodução de vídeo e áudio.

É a integração deste processador que funciona à parte, mas em sintonia com o processador central e o processador gráfico, que permite à Toshiba fazer upscaling de vídeo e transformar SD (Standard Definition) em HD (High Definition).

A Toshiba aproveita a tecnologia permitida pelo Quad Core HD para introduzir mais aplicações relacionadas com o vídeo. Por exemplo, quem tiver um dos novos Qosmio que integram esta tecnologia vai conseguir fazer renderizações de vídeo mais rápidas (com ganhos na ordem dos 50%), visto que a Toshiba fez uma parceria com a Ulead para optimizar o programa Ulead Video Studio para este processador.

Outra das novas aplicações é um sistema que permite dividir todas as cenas de um filme em DVD (tipo mosaico) e que possibilita a navegação cena a cena. Mas o que deu mais nas vistas foi a tecnologia Hand Gesture Control. Esta permite, utilizando a web cam integrada no Qosmio, interagir com a interface do computador através de gestos. Só para ter uma ideia, a aplicação requer tanto processamento que utiliza, na sua total capacidade, os quatro processadores incluídos no Quad Core HD.

A Toshiba esclareceu que este processador não é uma resposta à derrota do HD DVD. Segundo responsáveis da empresa nipónica, o Quad Core HD já estava a ser desenvolvido e seria sempre apresentado, mesmo se o formato HD DVD fosse o vencedor da “Guerra da alta definição”.
Aliás, a Toshiba reforçou a ideia de que, para esta empresa, o futuro da alta definição não é o suporte em si, mas sim a forma como os utilizadores estão a preferir aceder aos conteúdos a partir da Web e de outros suportes alternativos.

por Helder Gonçalves Publicado em 1

Robô salva-vidas testado em Matosinhos

O Instituto Superior de Engenharia do Porto (ISEP) está a trabalhar no desenvolvimento de um sistema integrado de monitorização, detecção e salvamento aquático. Está previsto o teste do sistema na praia de Matosinhos durante a época balnear do próximo ano.

Denominada de SEASAFE, esta iniciativa resulta de um protocolo de cooperação entre a Câmara Municipal de Matosinhos e o Laboratório de Sistemas Autónomos do ISEP. O projecto visa a criação do TOAZ, um robô de monitorização marítima de superfície na vertente de salvamento aquático. O desenvolvimento do robô (barco autónomo) envolve um investimento de cerca de 350 mil euros.

A intenção é colocar o barco permanentemente na água, sendo apenas activado quando as câmaras colocadas na praia detectarem algum problema no mar. O robô tem a vantagem, em relação ao nadador salvador, de chegar ao banhista em perigo mais rápido, disponibilizando-lhe uma bóia até que chegue auxílio. No entanto os investigadores admitem a hipótese, de em algumas circunstâncias, o robô poder trazer o banhista para terra.
por Helder Gonçalves Publicado em Sem categoria